O segredo da última escolha

"Uma peça de bronze aparentemente sem importância, mas que guarda um poder misterioso. Seus segredos são transmitidos através dos séculos e foram conhecidos por pessoas como Oskar Schindler, Joana D’Arc e Thomas Jefferson. Agora, mais uma vez, o objeto reaparece para transformar a vida daqueles que a encontram. Dorry Chandler é uma jornalista que sempre se interessou por mistérios. Curiosa sobre a estranha “pedra” que seu filho encontrara, levou-a a Dylan Lagford, um perito em antiguidades que trabalha no Museu Natural de Ciência de Denver. Quando a linguagem inscrita no artefato foi traduzida, um mistério inimaginável começou a se revelar.A vida tranquila desta família torna-se tudo, menos normal, enquanto cada parte da “pedra”, que fora dividida em pedaços, lança luz adicional ao significado do objeto. Os Chandlers talvez tenham desenterrado um fragmento de uma das mais profundas relíquias da história da humanidade. Acenando para uma linha entre o bem e o mal através da história, O segredo da última escolha segue o caminho histórico de uma antiga relíquia e ensina como desenvolver o potencial escondido no coração de todos nós. "
Muito interessante esse livro. Parece um filme de pura ação, é diferente no começo e nem imagina como será o final. Esse eu demorei um pouco para ler, porque só consigo ler quando estou indo para o trabalho, mas nos últimos capítulos fui obrigada a parar tudo e terminar. Queria saber o que iria acontecer com o navio Lusitania. A história desse livro mistura partes de um todo, de anos diferentes e épocas também. Faz pensar como se estivesse naquele momento da história e participando dos acontecimentos. Carter pensou em perguntar para Deus, o porque e para que Deus criou  o universo, o mundo, as pessoas, e como não teve resposta, terminou o assunto perguntando para que existe o amendoim. Cabeça das pessoas tem idéias ótimas, e podem se entregar para o que mais buscam. A peça que segue de mão em mão pelas páginas do livro, fez acontecer muito na vida das pessoas, mas eu acredito que não foi a peça a causa dessas, e sim a escolha das pessoas em fazer  o que queriam com suas vidas. Recomendo. O livro e as escolhas.